Alta Miopia

A alta miopia é uma doença caracterizada pela miopia acima de 6 dioptrias (graus). Não se sabe exatamente sua causa, mas provavelmente estes pacientes têm uma alteração no colágeno (tipo de fibra que forma o olho), causando o aumento do comprimento do olho e conseqüentemente a miopia.

Geralmente os pacientes alto míopes têm pais com miopia alta e começam a desenvolver a alteração no final da infância ou inicio da puberdade. A visão para longe começa a piorar e tem que deve ser corrigida com o uso de óculos ou lentes de contato. A miopia pode aumentar até a idade adulta chegando a valores altos como 15 ou 20 dioptrias. Ainda não existe nenhum remédio, colírio, cirurgia ou tratamento para impedir que uma pessoa se torne míope ou alta míope.

Os pacientes têm que usar óculos ou lentes de contato para enxergar bem para longe e existem alguns tratamentos, como a cirurgia refrativa (LASIK) para corrigir a miopia, mas é importante determinar se a cirurgia é segura para o paciente. Uma cirurgia realizada em um paciente com córnea muito fina ou alguma outra doença da córnea pode levar à complicações graves, como a ectasia de córnea (alteração do formato da córnea, que é a parte transparente do olho) e baixa de visão, às vezes sendo necessário realizar transplante de córnea. Para fazer a cirurgia refrativa o paciente deve estar com a refração (grau) estabilizado há pelo menos seis meses, ter mais de 18 anos e exames de espessura e formato da córnea (paquimetria, topografia, etc) normais.

Também existe a possibilidade de corrigir a miopia trocando o cristalino natural do olho ou colocando uma lente dentro do olho (lentes de Worst ou Artisan), mas infelizmente acreditamos que estes procedimentos ainda não tem segurança comprovada e não são indicados em nossa clínica. Sabemos que nos próximos anos serão lançados novos modelos de lentes que ainda estão na fase de pesquisa e parecem oferecer resultados muito melhores – cuidado para não se expor a um risco hoje pela ansiedade de resolver a miopia.

Os alto míopes têm a retina mais fina, “esticada”, o que aumenta o risco de descolamento de retina. Por este motivo os pacientes devem ser examinados se perceberem moscas volantes, ou floaters (“sujeirinhas” na visão) ou flashes de luz (fotopsias).

Moscas volantes são “sujeirinhas” que o paciente vê flutuando quando mexe os olhos e fotopsias são flashs ou halos luminosos que o paciente vê na periferia da visão. Estes sintomas são causados pelo descolamento do vítreo, que puxa a retina. Esta “puxada” é interpretada pelo cérebro como um estímulo luminoso. Muito raramente, quando este processo normal de descolamento do vítreo ocorre, ele causa pequenas rasgaduras da retina. Estas rasgaduras podem causar o descolamento e é por isso que o paciente deve ser examinado.

Facebook